sexta-feira, 30 de novembro de 2007

prémio melhor museu do ano 2006

Inverno 2007/ L.Alvim


A Casa de Camilo foi hoje distinguida com o Prémio Melhor Museu do ano 2006 atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM).
A Casa de Camilo-Museu. Centro de Estudos destaca-se não só pelo projecto museológico, mas também pelo seu trabalho como centro de informação e investigação sobre o escritor Camilo Castelo Branco (1825-1890).
Os Prémios APOM 2006 foram anunciados numa cerimónia no Museu de História Natural, em Lisboa, onde se prestou também homenagem ao professor jubilado António Galopim de Carvalho, como Melhor Personalidade na Área da Museologia.
Atribuídos desde 1996, os Prémios Prestígio da APOM, destinam-se a valorizar os diferentes aspectos da museologia e destacar o papel dos museus na sociedade e na cultura.

Prémio Melhor Museu do Ano
1º Prémio Casa de Camilo - Museu. Centro de Estudos
Menções honrosas
Museu do Caramulo; Laboratório Chimico da Universidade de Coimbra

Prémio Melhor Exposição
Museu Municipal de Vila Franca de Xira com a exposição dedicada ao Neo-Realismo

Prémio Melhor Serviço de Extensão Cultural
1º Prémio Museu do Papel de Terras de Santa Maria, Paços de Brandão
Menções honrosas
Museu da República ; Museu Regional de Beja
Prémio de Melhor Catálogo
1º Prémio Associação dos Arqueólogos Portugueses com o catálogo "Construindo a Memória - As Colecções do Museu Arqueológico do Carmo
Menção honrosa
Museu Quinta das Cruzes, no Funchal, com o catálogo “Um Olhar do Porto - Uma Colecção de Artes Decorativas"
Prémio de Melhor Trabalho sobre Museologia
1º Prémio
ex-aequo- A Revista "Museal", do Museu Municipal de Faro, e a tese de mestrado de Filipe Serra - "Gestão e Administração dos Museus Portugueses"

Melhor Personalidade na Área da Museologia
António Galopim de Carvalho

Fonte: Lusa

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

biblioteca digital mundial



A UNESCO e a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos juntaram-se para construir uma Biblioteca Digital Mundial na sequência da assinatura de uma acordo com Abdul Waheed Khan, Subdirector Geral da UNESCO pela Comunicação e Informação e o Bibliotecário do Congresso, James H. Billington, na sede da UNESCO em Paris, a 17 de Outubro de 2007.

Os objectivos que pretendem com este projecto é promover a compreensão internacional e intercultural, melhorar o conteúdo cultural na Internet e contribuir para a educação e a pesquisa universitária.
Esta biblioteca digital terá documentos de todo o tipo (fotografias, cartas, manuscritos, livros, filmes, etc) de todo o mundo. O software já foi testado e será disponibilizado na Internet gratuitamente, e nas línguas oficiais da UNESCO (francês, inglês, espanhol, russo, árabe, chinês e português).
Fonte : BAD, Portal da UNESCO
World Digital Library

Vivam as bibliotecas vivas.

Colômbia, o país das bibliotecas, e a COMFENALCO

Parque Biblioteca León de Greiff, inaugurada em Fevereiro de 2007
fotografia Sérgio Mangas /do blogue Biblioteca sem Fronteiras

Colômbia surpreendo-nos com o trabalho que efectua nas bibliotecas públicas e na promoção da leitura.
COMFENALCO é uma das 50 “Caixas de Compensação Familiar”, financiadas com o apoio de empresas colombianas, são entidades privadas de serviço social que trabalham em diferentes campos para melhorar a qualidade de vida dos colombianos e mantém 120 bibliotecas públicas distribuídas por todo o território nacional. O Departamento de Cultura e Bibliotecas de COMFENALCO Antioquia, ganhou o Prémio Guust van Wesemael Literacy Prize 2001 (IFLA-Federação Internacional de Associações de Bibliotecas), mantém desde 1979 uma rede de serviços que actua em três frentes à luz do manifesto da UNESCO: a Leitura, a Informação e a Cultura.

COMFENALCO Antioquia tem obtido diversos reconhecimentos pelo seu trabalho. Em 1995, a Fundação para o Fomento da Leitura na Colômbia, Fundalectura, premiou-a pelo melhor trabalho de promoção da leitura no país, recebendo a Certificação Qualidade ISO 9002, sendo o primeiro serviço bibliotecário do país a obter essa certificação. A rede é constituída por sete bibliotecas em diferentes sectores da Área Metropolitana de Medellín e nos municípios de Bello e Itaguí. A Biblioteca central encontra-se no coração de Medellín e presta 77 horas semanais de serviços, permanecendo aberta todos os dias do ano. Conta com uma “bibliotecafeteria” e biblioteca escolar que apoia as actividades de aprendizagem do Instituto de Educação, sendo lugar de encontro da comunidade educativa. Nos municípios de Itaguí e Bello as bibliotecas estão localizadas em urbanizações habitadas por famílias jovens de classe média onde COMFECALCO desenvolveu programas de habitação.
Nos bairros de Guayabal, um lugar eminentemente industrial, a biblioteca ocupa um lugar estratégico como ponto de encontro dos habitantes de bairros violentos e desenvolve um trabalho de recuperação. No bairro Castilla, a biblioteca está localizada em uma zona que, mesmo marcada pela violência, conta com um forte movimento cultural. Outra biblioteca esta localizada no bairro do Salado, zona marginal onde vivem parte dos habitantes mais pobres da cidade.

Rede de Bibliotecas - Red de Bibliotecas de Medellín.

Fonte: artigo Colômbia, o país das bibliotecas de Lucila Martínez, pdf
blogue Biblioteca sem fronteiras de Sérgio Mangas
Vivam as bibliotecas vivas.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

biblioteca sem fronteiras


Sérgio Mangas, bibliotecário da Biblioteca Municipal de Figueiró dos Vinhos, terminou um estágio na COMFENALCO - Medellín, Colômbia, que realizou de 26 de Outubro a 24 de Novembro. Aguardo, com curiosidade, mais notícias. Para já tivemos a oportunidade de conhecer a realidade da Rede de Bibliotecas de Medellín, e fiquei muito surpreendida pelo trabalho que se está a fazer na Colômbia. Obrigado Sérgio e continua-nos a trazer novas.

Relata toda a experiência, visitas, aulas, fotografia de bibliotecas, documentos no blogue Biblioteca sem Fronteiras.
Vivam as bibliotecas vivas.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

construir a biblioteca 2.0




Esta apresentação de Dídac Margaix, apresentado na VI Workshop CALSI, texto completo nas actas, apresenta-nos as tecnologias e atitudes próprias da Web 2.0 aplicadas ao OPAC das bibliotecas. Dídac desenha uma proposta de um OPAC 2.0, em que as palavras-chave são: melhorar as "experiências" do utilizador, utilizar software livre, aproveitar a inteligência colectiva, assumir a participação do utilizador na construção do catálogo bibliográfico.

Blog de CALSI 2007 (VI Workshop pioneira no tratamento de E-contents: conteúdos e aspectos legais na Sociedade de Informação)
Fonte: blogue DosPuntoCero
Vivam as bibliotecas vivas!

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

manifesto 2.0 de laura cohen



Nunca é demais rever o vídeo com o Manifesto 2.0 de Laura Cohen, agora em português traduzido pela nossa colega brasileira Maria José Jorente e seleccionado por Plácida Santos, a quem agradeço o envio do link.
Blogue de Laura Cohen - Library 2.0 An Academic´s Perspective.
Vivam as bibliotecas vivas.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

c/ form forx lendo, axim irás vendo !

foto Gaspar Matos

Uma lufada de ar fresco na biblioteca pública, esta ideia brilhante do nosso colega Gaspar Matos, do blogue adrian&pandora. A proposta que faz é que as bibliotecas públicas se aliem à força dos provérbio e toda ela seja traduzida nestes adágios populares, desde os espaços aos fundos documentais, e em cada um destes locais seja afixado um painel com o provérbio respectivo (escolhido especialmente para cada contexto). O texto aparece em português e em "texting".
Objectivos : captar atenção do público mais jovem da biblioteca, de uma zona urbana, para a literatura oral.

ver artigo completo E-LIS:
Matos, Gaspar (2007) "Assim como cada qual é, assim ensina" - provérbios em bibliotecas públicas para adolescentes e jovens adultos. In Proceedings 1º Colóquio Interdisciplinar sobre Provérbios, Tavira - Algarve - Portugal.
Vivam as bibliotecas vivas!

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

biblioteca pública como provocação

30 Novembro, na Biblioteca Municipal Rocha Peixoto, Póvoa de Varzim

Programa

09h00 Recepção dos participantes

09h30 Sessão de abertura

Luís Diamantino Carvalho Batista, Vereador da Cultura do Município da Póvoa de Varzim

Paula Morão, Directora da Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas

Painel I

20 anos de mudança e inovação nas bibliotecas Públicas

09h45 Maria José MouraBibliotecas e Cidadania

10h15 Intervalo

10h45 Henrique Barreto NunesA Biblioteca como provocação

11h15 Luísa Dacosta - A importância da Hora do Conto nas bibliotecas

11h45 Debate moderado por José Carlos de Vasconcelos

12h30 in Memoriam a Manuel Lopes por Henrique Barreto Nunes

13h00 Almoço livre

Painel II

6 olhares sobre os desafios da leitura pública

15h00 Mesa redonda

José António Calixto

José Afonso Furtado

Francisco José Viegas

Teresa Calçada

Isabel Sousa

Manuela Barreto Nunes

16h00 Intervalo

16h30 Conclusões do painel

17h00 Paula MorãoRNBP Linhas de actuação da Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas

17h30 Encerramento

É um convite a participarmos, a questionarmos e a reflectirmos o futuro. Biblioteca como PROVOCAÇÃO. São 20 anos de Leitura Pública. É com emoção que reflicto este tema, agora que me obrigam a afastar-me da minha maior paixão, mas não há machado que corte a raíz ao pensamento, e aí estarei provavelmente a comemorar e a traçar caminhos de futuro. Para provocar!
Vivam as bibliotecas vivas.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

cebolas e alcachofra




Doris Lessing sai do táxi, com o seu filho, vindos do hospital, e das compras. Os jornalistas informam-na que recebeu o Prémio Nobel da Literatura. Cebolas e uma alcachofra. Para quê um prémio? Já teve os seus na vida. Uma lição para todos.
Diário de Notícias
Vivam as bibliotecas vivas.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

novo número electrónico da revista Documentación de las Ciencias de la Información


Novo número com artigos em texto completo (gratuito).
Fonte: Portal de Revistas Científicas Universidad Complutense Madrid : http://www.ucm.es/BUCM/revistasBUC/portal/

destaco o artigo:

"Recepción de la obra otletiana en España a través del análisis cualitativo de citas "
SALVADOR BRUNA, Javier

Resumo:
En este trabajo se presenta un análisis de cómo se ha difundido la teoría documental de Paul Otlet en España, desde sus primeros introductores a las últimas aportaciones en este campo. La metodología utilizada ha sido el análisis cualitativo de las citas recibidas por los autores españoles especializados en la obra otletiana, con objeto de determinar los investigadores más relevantes y sus obras señeras, así como trazar un mapa donde quede reflejada la forma en que dichas ideas se han transmitido a través de la cadena de conocimiento científico. Además, se realiza una serie de reflexiones sobre la metodología cualitativa, con objeto de señalar sus principales debilidades y fortalezas.
Palabras clave: Otlet, Análisis cualitativo de citas, Historia de la Documentación.

Vivam as bibliotecas vivas.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

direito a saber


O direito de acesso à informação, como direito humano, reconhecido pelo Direito Internacional, ainda não é reconhecido em muitos países. Na União Europeia, os países Espanha, Grécia, Luxemburgo, Chipre e Malta, não possuem nenhuma lei de acesso à Informação. Mas todo o cidadão deverá poder aceder em igualdade de condições a todo o tipo de informações que se encontrem sob a posse das entidades públicas e privadas que realizem funções públicas.
Em Espanha, A Coalición Pro Acceso (constituída por várias entidades Amnistía Internacional, Asociación Pro Derechos Humanos de España (APDHE), Fundación Ciencias de la Documentación, Asociación de Archiveros Españoles en la Función Pública, Comisión de Libertades Informáticas, etc.) defensora e lutadora por este direito possui um blogue Promoviendo la ley de acesso a la información pública en Espana), onde enuncia os 9 princípios que deverão estar incluídos na futura lei.


Em Portugal - Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos CADA.
Hoje lembrei-me de falar de falar sobre este assunto, motivada pelo caso José Rodrigues dos Santos, acusado, pela Administração da RTP, de não ter dito a verdade sobre a influência do poder político na visão e composição das notícias difundidas pela televisão.
Os cidadãos têm direito a saber.
Fonte: Público
Vivam as bibliotecas vivas!

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

bibliotecas sem fronteiras: navegar para uma compreensão total

o

World Library and Information Congress

74º IFLA General Conference and Council

Quebec, Canadá, 10-14 Agosto 2008

Call for papers - 30 Janeiro 2008 - resumo até 500 palavras, em inglês.
O congresso anual da IFLA é uma excelente oportunidade para conhecer outros profissionais, outras realidades e aprender muito.
Os temas das comunicações:
Vivam as bibliotecas vivas.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

visualizar informação

Newsmap é uma aplicação que visualmente reflecte a paisagem do Google News (agregador de notícias). É um espaço de visualização em treemap (conceito que vale a pena explorar) que ajuda na exibição de muita informação recolhida pelo agregador. Podemos observar quais as notícias que mais peso tiveram, o tipo de notícias e comparar com outros países. O objectivo principal desta visualizações em treemap é simplesmente demonstrar visualmente as relações entre dados e os padrões que não observamos ao ler uma lista de notícias. Ao clicarmos no rectângulo iremos para as notícias agregadas.
A ferramenta de browsing treemap poderá ser aplicada a catálogos de bibliotecas ou em bases de dados de informações diversas.

concepção Marcos Weskamp
desenvolvimento de treemaps - University of Maryland
livro Readings in infomation visualization: using the vision to think
de Stuart K. Card, Jock D. Mackinlay, e Ben Shneiderman.
Vivam as bibliotecas vivas.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

sete mulheres


A editora 101 Noites lança a colecção de audio-livros (em CD ou em livro + CD ou em mp3 para download) que se chama Livros para Ouvir, cujos primeiros três títulos são "Um Jantar Muito Original", de Fernando Pessoa, lido por São José Lapa, "A Estranha Morte do Prof. Antena", de Mário de Sá-Carneiro, lido por João Perry, e "Sempre Amigos", de Fialho de Almeida, por Eunice Muñoz. Os outros três são "Sete Mulheres", de Camilo Castelo Branco, na voz de Nuno Lopes, "Mulher de Perdição", de Florbela Espanca, na de Alexandra Lencastre, e "Civilização", de Eça de Queirós, por José Wallenstein.
A 101 Noites resolveu lançar esta colecção, porque as boas histórias ficam no ouvido e adicionou-lhes a música de Alexandre Cortez (Rádio Macau e Wordsong).
A editora 101 Noites disponibiliza textos, de grande escritores, dos quais tem copyright das traduções, e podem ser encontrados na sua biblioteca digital.
Vivam as bibliotecas vivas.

domingo, 4 de novembro de 2007

a terra vista pelos livros


Um fanático do Google, Matthew Gray, criou um mapa do mundo construído segundo a frequência de aparição dos nomes das cidades nos livros, através da ajuda do Google Book Search. Quanto mais citações uma cidade tiver nos livros catalogados maior é a representação gráfica, mais pixels aparecem na imagem.
No sítio web indicado, ele refere como fez o mapa, programas e outros pormenores. Também existe uma sequência de mapas sobre a evolução das menções de nomes das cidades em livros, durante o séc. XIX.

Fonte : Earth viewed from books
Vivam as bibliotecas vivas.

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

the hollywood librarian



The Hollywood librarian é um filme documentário que apresenta o trabalho e a vida de bibliotecários norte americanos. Contém dezenas de exemplos de bibliotecários e de bibliotecas, aspectos positivos e negativos da profissão, bibliotecários competentes, engenhosos, inteligentes e profissionais. No filme, estão entrelaçadas entrevistas a bibliotecários reais juntamente com uma história ficcionada. Os temas abordados estão na actualidade, como o da censura nas bibliotecas, a questão da liberdade intelectual, relação crianças - bibliotecários, e a importância da leitura para o desenvolvimento do cidadão. Visitam-se programas de alfabetização nas bibliotecas prisionais, bibliotecas escolares, bibliotecas de cidades pequenas e grandes bibliotecas, bibliotecas em crise e outras muito financiadas.
Todos os profissionais lá estão, revelando a diversidade das personalidades, conhecimentos e a importância do que eles fazem. Aparecem os bibliotecários mais velhos que testemunharam a explosão da tecnologia e os bibliotecários mais jovens que nasceram na idade da informação. O filme viaja por sistemas de bibliotecas com uma equipa grande de trabalho e viaja por bibliotecas com um bibliotecário que trabalha só.
Uma imagem popular que cria empatia por estes profissionais que são um imperativo cultural no século XXI.
O valor do filme, independente de ser uma americanada, é falar dos profissionais e levar muito gente a constatar a sua existência positiva. O filme está a ser exibido nos E.U.A.
Vivam as bibliotecas vivas!

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

casa do infante II

fotografia lifecooler

No post anterior, refiro-me à certificação da qualidade dos serviços do Arquivo Histórico do Porto - Casa do Infante. Deverá ser acrescentado que a certificação já foi atribuída em Julho 2006. O seu a seu dono.
Vivam as bibliotecas e arquivos vivos.