quinta-feira, 30 de abril de 2009

VII Jornadas de Ciência da Informação

18 e 19 de Maio
anfiteatros nobre das Faculdades de Engenharia (1º dia) e de Letras (2º dia).
13h30 em ambos os dias para a recepção dos participantes

inscrição é obrigatória e gratuita | até 14 de Maio

lci.jornadas@gmail.com | indicando o nome, instituição a que pertence (caso aplicável) e um contacto (e-mail, telefone ou telemóvel)
programa das VII Jornadas de Ciência da Informação



Vivam as bibliotecas vivas.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Fesabid´09

No próximo mês de Maio decorre, em Zaragoza, o Fesabid´09 - XI Jornadas Espanolas de Documentación com a temática principal - Interinformación.
As jornadas de 3 dias são animadas com as comunicações científicas, as experiências profissionais, os seminários, os fóruns, os ateliês, as comunicações de convidados especialistas em matérias pertinentes para o desenvolvimento profissional.
São umas jornadas aderentes às tecnologias Web 2.0: facebook, twitter, blogue, wiki, assim como as temáticas de algumas comunicações.
Ver programa científico pdf
Vivam as bibliotecas vivas!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Domínio Público

Domínio Público é uma biblioteca digital, desenvolvida em software livre, iniciativa do Governo Federal Brasileiro, possui no seu catálogo cada vez mais obras literárias, texto completo com possibilidade de download .
Alguns delas:

  1. A Divina Comédia -Dante Alighieri
  2. A Comédia dos Erros -William Shakespeare
  3. Poemas de Fernando Pessoa -Fernando Pessoa
  4. Dom Casmurro -Machado de Assis
  5. Cancioneiro -Fernando Pessoa
  6. Romeu e Julieta -William Shakespeare
  7. A Cartomante -Machado de Assis
  8. Mensagem -Fernando Pessoa
  9. A Carteira -Machado de Assis
  10. A Megera Domada -William Shakespeare
  11. A Tragédia de Hamlet, Príncipe da Dinamarca -William Shakespeare
  12. Sonho de Uma Noite de Verão -William Shakespeare
  13. O Eu profundo e os outros Eus. -Fernando Pessoa
  14. Dom Casmurro -Machado de Assis
  15. Do Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
  16. Poesias Inéditas -Fernando Pessoa
  17. Tudo Bem Quando Termina Bem -William Shakespeare
  18. A Carta -Pero Vaz de Caminha
  19. A Igreja do Diabo -Machado de Assis
  20. Macbeth -William Shakespeare
  21. Este mundo da injustiça globalizada -José Saramago
  22. A Tempestade -William Shakespeare
  23. O pastor amoroso -Fernando Pessoa
  24. A Cidade e as Serras -José Maria Eça de Queirós
  25. Livro do Desassossego -Fernando Pessoa
  26. A Carta de Pero Vaz de Caminha -Pero Vaz de Caminha
  27. O Guardador de Rebanhos -Fernando Pessoa
  28. O Mercador de Veneza -William Shakespeare
  29. A Esfinge sem Segredo -Oscar Wilde
  30. Trabalhos de Amor Perdidos -William Shakespeare
  31. Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
  32. A Mão e a Luva -Machado de Assis
  33. Arte Poética -Aristóteles
  34. Conto de Inverno -William Shakespeare
  35. Otelo, O Mouro de Veneza -William Shakespeare
  36. Antônio e Cleópatra -William Shakespeare
  37. Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
  38. A Metamorfose -Franz Kafka
  39. A Cartomante -Machado de Assis
  40. Rei Lear -William Shakespeare
  41. A Causa Secreta -Machado de Assis
  42. Poemas Traduzidos -Fernando Pessoa
  43. Muito Barulho Por Nada -William Shakespeare
  44. Júlio César -William Shakespeare
  45. Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
  46. Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
  47. Cancioneiro -Fernando Pessoa
  48. Catálogo de Autores Brasileiros com a Obra em Domínio Público -Fundação Biblioteca Nacional
  49. A Ela -Machado de Assis
  50. O Banqueiro Anarquista -Fernando Pessoa
  51. Dom Casmurro -Machado de Assis
  52. A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho
  53. Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
  54. Adão e Eva -Machado de Assis
  55. A Moreninha -Joaquim Manuel de Macedo
  56. A Chinela Turca -Machado de Assis
  57. As Alegres Senhoras de Windsor -William Shakespeare
  58. Poemas Selecionados -Florbela Espanca
  59. As Vítimas-Algozes -Joaquim Manuel de Macedo
  60. Iracema -José de Alencar
  61. A Mão e a Luva -Machado de Assis
  62. Ricardo III -William Shakespeare
  63. O Alienista -Machado de Assis
  64. Poemas Inconjuntos -Fernando Pessoa
  65. A Volta ao Mundo em 80 Dias -Júlio Verne
  66. A Carteira -Machado de Assis
  67. Primeiro Fausto -Fernando Pessoa
  68. Senhora -José de Alencar
  69. A Escrava Isaura -Bernardo Guimarães
  70. Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
  71. A Mensageira das Violetas -Florbela Espanca
  72. Sonetos -Luís Vaz de Camões
  73. Eu e Outras Poesias -Augusto dos Anjos
  74. Fausto -Johann Wolfgang von Goethe
  75. Iracema -José de Alencar
  76. Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
  77. Os Maias -José Maria Eça de Queirós
  78. O Guarani -José de Alencar
  79. A Mulher de Preto -Machado de Assis
  80. A Desobediência Civil -Henry David Thoreau
  81. A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio
  82. A Pianista -Machado de Assis
  83. Poemas em Inglês -Fernando Pessoa
  84. A Igreja do Diabo -Machado de Assis
  85. A Herança -Machado de Assis
  86. A chave -Machado de Assis
  87. Eu -Augusto dos Anjos
  88. As Primaveras -Casimiro de Abreu
  89. A Desejada das Gentes -Machado de Assis
  90. Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa
  91. Quincas Borba -Machado de Assis
  92. A Segunda Vida -Machado de Assis
  93. Os Sertões -Euclides da Cunha
  94. Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa
  95. O Alienista -Machado de Assis
  96. Don Quixote. Vol. 1 -Miguel de Cervantes Saavedra
  97. Medida Por Medida -William Shakespeare
  98. Os Dois Cavalheiros de Verona -William Shakespeare
  99. A Alma do Lázaro -José de Alencar
  100. A Vida Eterna -Machado de Assis
  101. A Causa Secreta -Machado de Assis
  102. 14 de Julho na Roça -Raul Pompéia
  103. Divina Comedia -Dante Alighieri
  104. O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós
  105. Coriolano -William Shakespeare
  106. Astúcias de Marido -Machado de Assis
  107. Senhora -José de Alencar
  108. Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente
  109. Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo
  110. Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis
  111. A "Não-me-toques"! -Artur Azevedo
  112. Os Maias -José Maria Eça de Queirós
  113. Obras Seletas -Rui Barbosa
  114. A Mão e a Luva -Machado de Assis
  115. Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
  116. Aurora sem Dia -Machado de Assis
  117. Édipo-Rei -Sófocles
  118. O Abolicionismo -Joaquim Nabuco
  119. Pai Contra Mãe -Machado de Assis
  120. O Cortiço -Aluísio de Azevedo
  121. Tito Andrônico -William Shakespeare
  122. Adão e Eva -Machado de Assis
  123. Os Sertões -Euclides da Cunha
  124. Esaú e Jacó -Machado de Assis
  125. Don Quixote -Miguel de Cervantes
  126. Camões -Joaquim Nabuco
  127. Antes que Cases -Machado de Assis
  128. A melhor das noivas -Machado de Assis
  129. Livro de Mágoas -Florbela Espanca
  130. O Cortiço -Aluísio de Azevedo
  131. A Relíquia -José Maria Eça de Queirós
  132. Helena -Machado de Assis
  133. Contos -José Maria Eça de Queirós
  134. A Sereníssima República -Machado de Assis
  135. Iliada -Homero
  136. Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco
  137. A Brasileira de Prazins -Camilo Castelo Branco
  138. Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões
  139. Sonetos e Outros Poemas -Manuel Maria de Barbosa du Bocage
  140. Ficções do interlúdio: para além do outro oceano de Coelho Pacheco. -Fernando Pessoa
  141. Anedota Pecuniária -Machado de Assis
  142. A Carne -Júlio Ribeiro
  143. O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós
  144. Don Quijote -Miguel de Cervantes
  145. A Volta ao Mundo em Oitenta Dias -Júlio Verne
  146. A Semana -Machado de Assis
  147. A viúva Sobral -Machado de Assis
  148. A Princesa de Babilônia -Voltaire
  149. O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves
  150. Catálogo de Publicações da Biblioteca Nacional -Fundação Biblioteca Nacional
  151. Papéis Avulsos

Vivam as bibliotecas vivas
!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Há homens a abrir as mãos como livros

no dia mundial do livro,

às vezes abre-se uma fonte e um lugar à frente para os outros. Mas nem sempre abrimos a porta a quem está em casa seja com a ajuda dos livros, das palavras ou dos gestos.
Este fragmento de tecido é um sinal de que podemos abrir as mãos como livros.

-----------------------------------

Há homens a abrir as mãos como livros
superfícies intensas sem ruído – as nascentes
No rochedo liso, no deserto imprevisto

É quente o silêncio. É quieto de uma claridade
Atenta. Eles o abrem – o orvalho
e nem sempre o atravessa o lume

É sempre de manhã que se abrem as correntes
abrem os escritos sem abrir os lábios
eles sussurram sobre os ouvidos
do homem que fala sozinho

Nem sempre abrem a porta de quem está em sua casa
Nem a ferida que se cura com o tempo

Abrem uma fonte e um lugar à frente. Cada afluente
e o seu leito. Abrem
os anzóis profundos dos sinais

Daniel Faria
------------------------------

Vivam as bibliotecas vivas!

Dia Mundial do Livro

terça-feira, 21 de abril de 2009

World Digital Library


Inauguração da Biblioteca Digital Mundial da UNESCO, que permite aceder gratuitamente a fundos de grandes e prestigiosas bibliotecas internacionais, desde a China à América Latina. Estão envolvidos neste projecto a Biblioteca do Congresso, que o iniciou em 2005, oferecendo uma grande quantidade de documentos (mapas, livros, fotografias, filmes, etc.), com assistência técnica da Biblioteca de Alexandria, e muitos outros 32 parceiros, desde bibliotecas nacionais a instituições culturais de variados países (Egipto, Brasil, Arábia Saudita, EUA, França, Japão, Grã-Bretanha, China, Rússia, Marrocos, Uganda, México, Eslováquia, etc.)
Esta biblioteca digital permite pesquisa em várias línguas.
A Biblioteca Nacional de Portugal não integra este projecto, parece que como já participa na Europeana...
Não faço comentários.


vídeo
Vivam as bibliotecas vivas!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Journal code4lib.org

Editorial Introduction - Issue 6, Christine Schwartz
http://journal.code4lib.org/articles/1376
The intelligent use of technology in libraries continues to be one of our most crucial challenges. For those of us who became librarians because we loved to explore the book stacks, we are now finding new ways to explore both old and new content in digital form. With issue 6 of the Code4Lib Journal we hope you will find new ways to explore, experiment, and bring to your library users what they want and need.

Using OAI-ORE to Transform Digital Repositories into Interoperable Storage and Services Applications, David Tarrant, Ben O'Steen, Tim Brody, Steve Hitchcock, Neil Jefferies and Leslie Carr
http://journal.code4lib.org/articles/1062
In the digital age libraries are required to manage large numbers of diverse objects. One advantage of digital objects over fixed physical objects is the flexibility of 'binding' them into publications or other useful aggregated intellectual entities while retaining the ability to reuse them independently in other contexts. An emerging framework for managing flexible aggregations of digital objects is provided by the Open Archives Initiative (OAI) with its work on Object Reuse and Exchange (ORE). This paper will show how OAI-ORE is being used to manage content in digital repositories, in particular institutional repositories, and has the potential ultimately to transform the conception of digital repositories.

Semi-automatic Citation Correction with Lemon8-XML, MJ Suhonos
http://journal.code4lib.org/articles/1011
The Lemon8-XML software application, developed by the Public Knowledge Project (PKP), provides an open-source, computer-assisted interface for reliable citation structuring and validation. Lemon8-XML combines
citation parsing algorithms with freely-available online indexes such as PubMed, WorldCat, and OAIster. Fully-automated markup of entire bibliographies may be a genuine possibility using this approach. Automated markup of citations would increase bibliographic accuracy while reducing copyediting demands.

The Wise Use of Statistics in a Library-Oriented Environment, Mathias Weyland
http://journal.code4lib.org/articles/1275
As with most businesses, libraries use statistics to justify expenses, to monitor the library's expansion and to predict prospective developments. This article describes SQL and shell techniques for data retrieval as well as further processing of the data using the open source statistical environment R. The article emphasizes some of the
pitfalls and reasoning errors librarians could easily slip into. Having an academic background on statistics, the author is appointed to projects and tasks which need mathematical and statistical methods
to be successfully accomplished.

Tree Representations: Graphics Libraries for Displaying Hierarchical Data, Mark Wilhelm
http://journal.code4lib.org/articles/1083
Tree representations can be useful for presenting hierarchical data on the screen. In this article I'll briefly describe building trees using the Dojo, Yahoo User Interface, Java Server Faces, and Google Web Toolkit libraries.

Visualizing Media Archives: A Case Study, Chris Beer, Courtney Michael, and Mayo Todorovic
http://journal.code4lib.org/articles/1119
The WGBH Media Library and Archives is piloting an online media archive for scholarly research. In conversation with users, we have discovered they want to quickly pinpoint items relevant to their work and get an overview of collections and their relationships to other materials. To demonstrate the size and complexity of our collection to users in a meaningful way, WGBH is employing data visualization techniques to provide an interactive, graphical representation of the various relationships between items. This article discusses the techniques employed in implementing our relationship map, emphasizes the cataloging techniques required for this effort, and offers code and examples to spark discussion about ways to improve or extend this effort.

Course Views: A Scalable Approach to Providing Course-Based Access to Library Resources, Jason Casden, Kim Duckett, Tito Sierra and Joseph Ryan
http://journal.code4lib.org/articles/1218
The NCSU Libraries' Course Views project, along with a locally developed widget web service, improves course-based access to library collections and services by dynamically generating library course pages for all 6000+ courses at NCSU. By automatically generating custom content when possible and showcasing authored content when available, Course Views is able to achieve full course coverage without significantly increasing staff time to create and manage content. This paper will describe the system and the use of web services to achieve scalable and sustainable delivery of course-related library content.

Integrating Process Management with Archival Management Systems: Lessons Learned, J. Gordon Daines, III and Cory L. Nimer
http://journal.code4lib.org/articles/1016
The Integrated Digital Special Collections (INDI) system is a prototype of a database-driven, Web application designed to automate and manage archival workflow for large institutions and consortia. This article discusses the how the INDI project enabled the successful implementation of a process to manage large technology projects in the Harold B. Lee Library at Brigham Young University. It highlights how the scope of these technology projects is set and how the major deliverables for each project are defined. The article also talks about how the INDI system followed the process and still failed to be completed. It examines why the process itself is successful and why the INDI project failed. It further underscores the importance of process management in archival management systems.

How to Build an XML Web Client for the Gold Rush Link Resolver's XML Gateway Web Services Layer, Brian Kysela
http://journal.code4lib.org/articles/1324
The Gold Rush link resolver (GRLR) is part of a suite of programs developed by the Colorado Alliance of Research Libraries (CARL) which help manage a library's electronic resources. It contains the essential features required to perform link resolution, and comes at a substantial discount compared to other commercial Link Resolvers. After a comprehensive review of the available options, the library at the University of Tennessee at Chattanooga (UTC) chose to implement Gold Rush over the summer of 2008. The UTC library also decided to take advantage of the release of the Gold Rush XML Gateway Web Services Layer by the Colorado Alliance in the spring of 2008. This article is a case study of how the UTC XML Web client was built and the steps necessary to successfully deploy such a client.

Using Book Data Providers to Improve Services to Patrons, Mike Beccaria
http://journal.code4lib.org/articles/1009
At Paul Smith's College, I recently implemented a "New Books" display using open APIs and an image scroller. In this article I'll give a brief overview of Google Book Search, OpenLibrary and Worldcat, explain how I created this New Books Widget using book cover data, and provide readers with some practical and simple code to show how to collect this data. This article will be of interest to anyone who wants to read about a brief overview of current state of free book data service providers. Additionally, beginner programmers will likely find the examples at the end of the article helpful when getting started with projects of their own.

CONFERENCE REPORT: Code4Lib 2009, Jie Chen, Joanna DiPasquale, Lauren Ko, and Andreas Orphanides
http://journal.code4lib.org/articles/998
Conference reports from the 4th Code4Lib conference, held in Province, RI from February 23 to 26, 2009. The Code4Lib conference is a collective volunteer effort of the informal Code4Lib community of library technologists. Included are four brief reports on the conference from the recipients of conference scholarships.

BOOK REVIEW: Semantic Web for the Working Ontologist, Tom Keays
http://journal.code4lib.org/articles/1480
Written by two of the leading authorities on the semantic web, the "Semantic Web for the Working Ontologist" is a timely and thorough introduction to the topic. Covering RDF, RDFS, and OWL, the book takes a logical, trainerly approach, with practical and illuminating examples. Well worth a read.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

IV Encontro Oeiras a Ler


Nos últimos três anos, as Bibliotecas Municipais de Oeiras, através dos Encontros Oeiras a Ler, têm procurado constituir um espaço de debate e reflexão, abrangendo diferentes perspectivas e práticas no que respeita ao papel da biblioteca pública na sociedade actual.
O III Encontro Oeiras a Ler realizado em Maio, do ano passado, veio confirmar o lugar pioneiro das Bibliotecas Municipais de Oeiras no panorama nacional das Bibliotecas Públicas e, certamente, terá contribuído para a sua projecção internacional, nomeadamente ao nível europeu.
Nos dias 14 e 15 de Maio de 2009, as Bibliotecas Municipais de Oeiras organizam a IV edição do Encontro, que será dedicada a uma das áreas de actuação das bibliotecas que melhor traduzem e cruzam as suas funções cultural, educativa e social: os serviços de extensão bibliotecária e cultural.
Uma vez mais, e porque é esse o carácter assumido destes Encontros, pretendemos reflectir sobre o papel das bibliotecas públicas para tornar possível e profícuo o cumprimento da sua missão, no caso concreto no que diz respeito aos serviços de extensão bibliotecária e cultural. Para o efeito, é determinante identificar os públicos, conhecer bem a comunidade local e criar e desenvolver projectos que vão ao encontro das suas necessidades.

Vivam as bibliotecas vivas!

terça-feira, 14 de abril de 2009

10º Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas

LOCAIS
Centro Cultural Vila Flor
Hotel Guimarães


PREÇOS DE INSCRIÇÃO

1ª fase de inscrição
até 31 de Dezembro de 2009
Associados – 120,00 € • Não Associados – 180,00 €

2ª fase de inscrição
após 31 de Dezembro de 2009
Associados – 160,00 € • Não Associados – 240,00 €

Vivam as bibliotecas vivas

segunda-feira, 13 de abril de 2009

El Navegante


O novo número da revista El Navegante tem como tema as Bibliotecas escolares e a Web 2.0, com artigos de Catuxa Seoane, Dídac Margaix, etc.
Podemos ler, consultar e descarregar: ISSUU
Vivam as bibliotecas vivas.

terça-feira, 7 de abril de 2009

AquaBrowser Library

AQUABROWSER LIBRARY® é um interface de consulta para catálogos bibliográficos (OPAC) que se sobrepõe a qualquer software. A particularidade é que a partir do termo de pesquisa que introduzimos gera-se um mapa conceptual no qual podemos aceder a um tesauro, traduções, sinónimos e a outras associações ao termo de pesquisa. No centro aparece a informação sobre os documentos existentes na biblioteca e à direita filtramos os resultados clicando em parâmetros como o ano, colecção, etc.
Em Espanha podemos podemos ver esta ferramenta a ser utilizada na Biblioteca de la Universidad Ceu San Pablo; e nos EUA na Queens Library.
AQUABROWSER LIBRARY® é um produto da empresa holandesa
Medialab Solutions BV.

Vivam as bibliotecas vivas.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

quinta-feira, 2 de abril de 2009

What is the Library of the future?

Hoje, na conferência What is the Library of the future? (JISC), transmitida em directo para a internet, em Oxford University, Sarah Thomas, (Bodley’s librarian and director, Oxford University Library Services), falou sobre as colecções disponíveis em Oxford, bem como a importância das bibliotecas no futuro. Argumentou que o passado e o futuro não são opostos polares, mas precisam ser integradas para avançar. Esta afirmação, de uma grande sabedoria, dá que pensar.
Avisa-nos que o Google contribui para uma certa confusão, relativamente à missão tradicional atribuída ás bibliotecas. O motor de pesquisa faz muito do que as bibliotecas deviam fazer, mas fica aquém de todas as funções que deve ter uma biblioteca.
As bibliotecas físicas terão que caminhar para locais de não-silêncio, locais onde se pode interagir com o artefacto livro, mas também tomar um café e ter uma boa conversa com outro utilizador, colega ou amigo, ou realizar um trabalho de grupo.
Os bibliotecário vão deixar de investir na inventariação de documentos e irão contribuir e gerir conteúdos, a partir de fornecedores de metadados. Os documentos são cruzamento de informações auditivas, visuais, geográficas, etc.
Temos o iPhone, o Kindle que podem ser utilizados nas bibliotecas, e a rede social com as novas ferramentas.
Outro dado importante, no futuro, é a questão da PARTILHA : na catalogação, na responsabilidade da preservação e no armazenameno partilhado da informação.
A Biblioteca do futuro tem que ter especialistas de áreas diversas: advogados, para auxiliar as questões da propriedade intelectual; MBAs para auxiliar as actividades empreendedoras; especialistas em audiovisual e nas TIC.
Para os bibliotecários mais medrosos: o livro não desaparecerá.
Vivam as bibliotecas vivas.

Mensagem Dia Internacional do Livro Infantil

Eu sou o mundo

Eu sou o mundo e o mundo sou eu,
porque, com o meu livro,
posso ser tudo o que quiser.
Palavras e imagens, verso e prosa
levam-me a lugares a um tempo próximos e distantes.

Na terra dos sultões e do ouro,
há mil histórias a descobrir.
Tapetes voadores, lâmpadas mágicas,
génios, vampiros e Sindbades
contam os seus segredos a Xerazade.

Com cada palavra de cada página
viajo pelo tempo e pelo espaço
e, nas asas da fantasia,
o meu espírito atravessa terra e mar.

Quanto mais leio mais compreendo
que com o meu livro
estarei sempre
na melhor das companhias.

Hani D. El-Masri

Tradução: José António Gomes

Hani D. El-Masri

Ilustrador e profissional de cinema, nascido no Cairo, Egipto, em 1951, Hani El-Masri foi educado pelos Jesuítas, tendo mais tarde ingressado no Colégio de Belas Artes do Cairo. Emigrou para os Estados Unidos aos trinta e cinco anos. Ali, entrou para a Walt Disney Imagineering, em 1990, onde trabalhou como desenhador conceptual durante cinco anos. Na Imagineering, participou em projectos como o Disneyland’s ToonTown, o Disneyland’s Critter Country de Tóquio, o Museu Infantil de Baltimore, e o Arabian Coast do recentemente inaugurado Tokyo Disney Seas. Em 1995, Hani trabalhou como artista de desenvolvimento visual de projectos na película de animação O Príncipe do Egipto, assim como em A Estrada para El Dorado e Spirit: o corcel indomável. Mais tarde, trabalhou na película Osmosis Jones. Regressado ao Egipto, dedica-se, desde 2005, à realização da sua própria versão para crianças de As mil e uma noites, em forma de livro. Foi premiado como melhor ilustrador pela saga de Xerazade no prémio Suzanne Mubarak, outorgado pelo Egyptian Board on Books for Young People (EBBY).

A Mensagem do Dia Internacional do Livro Infantil é uma iniciativa do IBBY (International Board on Books for Young People), difundida em Portugal pela APPLIJ (Associação Portuguesa para a Promoção do Livro Infantil e Juvenil),

Secção Portuguesa do IBBY.